SESC - Serviço Social do Comércio

Campanha de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa: “Não enxergamos, mas é”

15.06.2021

“Não enxergamos, mas é: violência contra a pessoa idosa” é a temática da Campanha de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, que o Sesc São Paulo realiza no ano de 2021 em parceria com o Conselho Estadual do Idoso, Grande Conselho Municipal do Idoso (São Paulo), CRI-Norte, OLHE – Observatório da Longevidade e Envelhecimento Humano, e a ONG Eternamente Sou. Fomentando reflexões sobre o quanto as violências interpessoais são fruto de fatores macroestruturais, a campanha discute a violência estrutural, referindo-se a contextos em que uma sociedade perpetua a desigualdade, causando aos grupos menos privilegiados deste sistema (não apenas, mas em especial) grandes impactos negativos.

Assim, as pessoas idosas são vulneráveis a estes impactos por meio de violências não percebidas, como a financeira, a psicológica, a patrimonial, a institucional, entre outras. E este é o objetivo da campanha: propor a visibilidade e o reconhecimento como passos fundamentais para uma longevidade sem violência.

Além disso, as adversidades relacionadas à pandemia de Covid-19 têm se mostrado inúmeras e, na medida em que esse contexto se alonga, tornam-se cada vez mais aparentes as fragilidades sociais que caracterizam o momento em que vivemos.

O número de denúncias de violência contra idosos passou de 3 mil em março de 2020, para 8 mil em abril e quase 17 mil no mês seguinte, representando um aumento de 466%. Os dados são do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMDH). 

Acredita-se que há ainda muitas subnotificações, uma vez que as vítimas não costumam denunciar, seja por limitações físicas ou pela precariedade da rede socioassistencial, segundo os dados do Disque 100 e da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG).

Atualmente, as pesquisas apontam para um crescimento de 59% no número de denúncias de violência contra idosos de março a junho de 2020, comparado ao mesmo período em 2019. Esse cenário sugere que as formas de sociabilização com as pessoas idosas estão atravessadas por episódios conflituosos o que, por sua vez, pode indicar a carência de recursos linguísticos, éticos e afetivos nas relações interpessoais com os idosos, em especial no âmbito familiar, onde a maior parte dos casos de violência ocorrem.

Dessa forma, a campanha, que acontece de 15 a 22 de junho nas redes digitais das unidades do Sesc São Paulo, fomenta a valorização da pessoa idosa como medida essencial para a construção de uma conjuntura que, ao garantir os direitos de igualdade postulados constitucionalmente, também oportuniza a riqueza própria à existência humana na variedade de suas instâncias, inclusive etárias, que muito tem a partilhar e comunicar coletivamente.

Programação

O encontro virtual de abertura traz o nome do tema da campanha deste ano: Não enxergamos, mas é: violência contra a pessoa idosa, acontece no dia 15 de junho, às 16h, pelo Sesc Ideias, no canal do Youtube do Sesc São Paulo. Participam Diego Félix Miguel, mestre em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), especialista em Gerencia de Salud para Personas Mayores pela Organização Panamericana de Saúde (OPAS – OMS) e especialista em Gerontologia pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG); Lia Diskin, jornalista, filósofa, ativista social, cofundadora da Associação Palas Athena e criadora do Projeto Gandhi e a Não Violência; e Marília Berzins, assistente social, mestre em Gerontologia Social (PUC/SP), doutora em Saúde Pública (FSP/USP) e Especialista em Gerontologia (SBGG). A mediação é de Juliana Viana Barbosa, assistente técnica do Programa Trabalho Social com Idosos do Sesc São Paulo.

Tecnologias da convivência e a conscientização das violências invisíveis

Por meio da Comunicação Não Violenta (CNV), a proposta deste encontro é falar sobre as tipificações da violência contra a pessoa idosa, estrutural ou na esfera micro, com o objetivo de propor a visibilidade e o reconhecimento destas como passos fundamentais para uma longevidade justa e sem violência. Destinado a quem cuida de pessoa idosa e público interessado.

16, 18, 23 e 25/06, quartas e sextas, das 9h às 12h.
Inscrições de 9/06 (às 14h) até 15/06 em inscricoes.sescsp.org.br
Plataforma ZOOM – Sesc Vila Mariana

Envelhecimentos invisibilizados, violências estruturais 

Quatro encontros propõem a reflexão sobre as violências produzidas pelas organizações e estruturas políticas da sociedade brasileira, assim como nas crenças e atitudes que ampliam a deslegitimação/marginalização das pessoas idosas.

Plataforma Microsoft Teams – Sesc Carmo

Encontro 1 – Violência estrutural e dados históricos da realidade brasileira 

Um panorama histórico sobre os índices e as consequências da violência estrutural nas experiências e possibilidades de um envelhecimento ativo e saudável. Será que é garantido a todos os brasileiros o direito de chegar à velhice com dignidade? Quanto as desigualdades e dificuldades de acesso a bens e serviços impactam ao longo de todo processo de envelhecimento? Com Cecília Minayo.

15/06, das 19h às 21h 
Inscrições de 7 a 14/06 em inscricoes.sescsp.org.br


Encontro 2 – Violência estrutural, aparência e idadísmo – 70, mas com corpinho e mente de 30!  

A coisa mais moderna que existe nessa vida é envelhecer. Será? Por que velho é sempre o outro? Será que envelhecer com suas marcas e formas é desejado? Por que temos tanto medo da aparência da velhice? Quais são as repercussões na vida social do culto à juventude? Uma discussão sobre como as imagens e percepções acerca da velhice impactam nas possibilidades de envelhecer com liberdade. Com Andrea Lopes.

22/06, das 19h às 21h 
Inscrições de 15 a 21/06 em inscricoes.sescsp.org.br

Encontro 3 – Violência estrutural e mercado de trabalho – Já não tem mais idade para trabalhar! 

Aposentar-se, retirar-se, ir para os aposentos! Como é a despedida do mercado de trabalho? Quais são as oportunidades destinadas àqueles que desejam e aos que não podem se aposentar? Quais são os impactos na saúde física, social e psicológica dos que se aposentam? Uma abordagem sobre as possibilidades e desafios vivenciados por idosos que desejam e precisam continuar a vida laboral. Com Jorge Felix.

29/06, das 19h às 21h 
Inscrições de 22 a 28/06 em inscricoes.sescsp.org.br

Encontro 4 – Violência estrutural e Covid-19 – Velho ou jovem? A quem serão destinados os leitos e recursos?  

De onde vem a ideia de que há vidas que importam menos que outras? Por que há um critério etário para definição? Quais situações a pandemia deflagrou em relação aos idosos, das condições das ILPIS, até os altos índices de violência doméstica. Uma análise sobre como a sociedade brasileira cuidou dos idosos durante a pandemia pelo COVID-19.

6/07, das 19h às 21h 
Inscrições de 29/06 a 5/07 em inscricoes.sescsp.org.br

Teatro e a participação da sociedade no reconhecimento da violência contra a pessoa idosa

“Todo mundo pode fazer teatro – até mesmo os atores”, diz Augusto Boal, criador do Teatro do Oprimido. Por meio da metodologia de Augusto Boal, convidamos o público a reconhecer a violência contra a pessoa idosa, coletivamente, construindo uma convivência diversa, generosa e sem opressão.

19 e 26/06 e 3, 10, 17, 24 e 31/07, sábados, das 10h às 12h
Plataforma Microsoft Teams – Sesc Consolação

Sesc Ipiranga na Comunidade com Rádio Heliópolis – Combate à Violência Contra a Pessoa Idosa

O programa Bairro Educador, da Rádio Comunitária Heliópolis, realiza um debate sobre o Combate à Violência Contra a Pessoa Idosa. O programa conta com a participação de Fábio Rodrigues, coordenador do Centro de Acolhida para Idosos Nelson Mandela, de Nerineide Ventura, assistente social do Centro de Acolhida para Idosos Nelson Mandela, e de Renata Flores, defensora pública e coordenadora do Núcleo dos Direitos da Pessoa Idosa e da Pessoa com Deficiência.  Mediação de Juliana Viana Barbosa, assistente técnica do Programa Trabalho Social com Idosos do Sesc São Paulo. 

25/6, sexta, das 12h às 14h.
Transmissão ao vivo pelas redes sociais do Sesc Ipiranga e da Rádio Comunitária Heliópolis.

Eu, Daniel Blake

Para fomentar reflexões sobre o relacionamento da sociedade com pessoas da terceira idade, a série Cinema #EmCasaComSesc traz em sua programação o longa-metragem “Eu, Daniel Blake”, de Ken Loach. Vencedor do Bafta de Melhor Filme Britânico, da Palma de Ouro e do Prêmio Ecumênico do Júri, no Festival de Cannes, entre outros, o filme traz a história de um senhor inglês que batalha por seus direitos de aposentadoria.

A partir de 15/6, terça, às 21h
Disponível na plataforma Sesc Digital

Clique aqui para saber mais sobre a Campanha de conscientização da violência contra a pessoa idosa

Conteúdo relacionado

Utilizamos cookies essenciais, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para personalizar e aprimorar sua experiência neste site. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.