SESC - Serviço Social do Comércio

Centro de Música Sesc: conheça a programação de cursos online

02.07.2021

Como é bom poder tocar um instrumento – já dizia Caetano Veloso! Melhor ainda se for em grupo, aprendendo a conviver com o outro, e descobrindo, para além da técnica, todas as possibilidades da expressão musical. Por acreditar nesses princípios e na importância da música como parte da formação humana, é que o Centro de Música do Sesc São Paulo foi criado há mais de 40 anos e agora se expandiu para o ambiente digital. 

As atividades presenciais do Centro de Música (nas unidades Consolação, Guarulhos e Vila Mariana) permanecem suspensas, mas a programação online busca transpor para o ambiente virtual pilares do programa, como a prática coletiva e a diversidade – de técnicas, de públicos e de abordagens no ensino, tendo como eixos condutores as trocas de saberes (ainda que mediadas pela tecnologia), a ludicidade e a busca pela autonomia. 

Desenvolvidas por educadores do Sesc e por profissionais convidados, as primeiras atividades acontecem por meio de aulas em grupo na plataforma Zoom, vídeos abertos no Youtube e conteúdos em textos, vídeos e playlists que serão compartilhados nas redes sociais do Centro de Música Sesc.  

Siga e se inscreva nos canais do Centro de Música: 

youtube.com/cmsesc 
instagram.com/cmsesc 
facebook.com/cmsesc 
twitter.com/cmsesc 

PROGRAMAÇÃO 2021 

OUTUBRO

Inscrições: 

Acesse: inscricoes.sescsp.org.br  (filtre pela categoria música)

____________________

Oficinas 

Vem brincar com música
com Vinicius Eufrásio

É música? É Brincadeira? Podemos juntar as duas coisas e gerar muito aprendizado e diversão! Nesta oficina de musicalização infantil, o professor Vinícius Eufrásio, doutorando em música pela UFMG, explora diversas referências musicais da cultura tradicional brasileira para estimular a musicalidade das crianças a partir de suas canções autorais. Nos encontros serão realizadas diversas brincadeiras musicais e atividades que estimulam o desenvolvimento da coordenação motora, da percepção auditiva, da sensibilidade e, especialmente, da criatividade das crianças.

Quando: 9 a 30/10, sábados, 11h 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: 5 a 10 anos
Grátis 

Brincando de Composição com o Pequeno Cidadão
com Taciana Barros e Edgard Scandurra*

Nessa apresentação interativa, Taciana Barros e Edgard Scandurra irão mostrar às crianças como se dá o processo de composição de uma música. Elas serão estimuladas a formular perguntas e expressarem o que entendem das letras das músicas abordadas. Num segundo momento, serão desafiadas a criar algumas rimas tendo como base a métrica dessas músicas. por fim todos cantarão juntos a canção composta.

*Pequeno Cidadão é formado por Edgard Scandurra (Ira!), Taciana Barros (Gang 90 & Absurdettes) e Antonio Pinto (produtor de diversas trilhas, como: “AMY” – doc. vencedor do OSCAR – e Olimpíadas RJ 2016). Com 12 anos de estrada, o grupo passou por várias cidades do Brasil ao vivo e em apresentações on-line. No contexto da pandemia de COVID 19, eles também passaram a oferecer suas oficinas no formato totalmente remoto.

Quando: 10/10, domingo, 11h 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: 8 a 12 anos
Grátis 

SETEMBRO

Cursos para iniciantes
Cursos para iniciados
Cursos para iniciantes e iniciados
Para todos os públicos

Inscrições:  

A partir de 14/9, às 14h, para Credencial Plena 
A partir do dia 15/9, às 14h, para o público em geral (vagas remanescentes) 
 
Acesse: inscricoes.sescsp.org.br  (filtre pela categoria música) 

____________________

Cursos 

PARA INICIANTES:

[voltar ao topo]

Violão Popular – Os primeiros passos 
com Gui Silveiras*

Curso de violão para quem quer começar do zero. O objetivo é introduzir os participantes no universo do violão popular, apresentando o instrumento e suas partes, exercícios de aquecimento, técnicas, acordes, cifras, além de dedilhados e levadas. 

*Gui Silveiras. Compositor e instrumentista, formado no renomado “Conservatório de  Tatuí”.  Um músico versátil e eclético que passeia por diversos estilos e formações instrumentais com fluência e musicalidade. Em sua trajetória dividiu palco com grandes nomes da música brasileira como Hamilton de Holanda, Monica Salmaso, Nelson Sargento, Tantinho da Mangueira,  Arismar  do Espírito Santo, Sergio Santos, Kiko Dinucci, Itiberê  Zwarg,  André  Marques, Vinícius Dorin e o Baterista Nenê. Além de seu trabalho autoral Gui Silveiras atua em diversos projetos artísticos entre eles o grupo “Vintena Brasileira” com o qual gravou dois CDs, “Bituca”(2014) e (r)existir (2018). Atualmente está na produção de seu novo projeto musical “Bate  Tambô”,  explorando  o universo afrolatino. 

Quando: 21/9 a 7/12, terças, 16h às 18h (exceção dias 12/10 e 2/11) 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: 14 anos
Valores: R$ 15 (Credencial Plena); R$ 25 (Meia); R$ 50 (Credencial de Atividades ou não credenciado).  

Conhecendo o Pandeiro 
com Bruno Pássaro 

Nesse curso serão explorados os vários aspectos do pandeiro, suas diversas possibilidades e suas potencialidades percussivas. Com uma sequência cronológica didática para variados públicos, o curso aborda diversos ritmos brasileiros como ijexá, capoeira angola, samba, baião, coco, xote, maracatu, bumba boi entre outros, demonstrando a diversidade rítmica e técnica do instrumento. 

*Bruno Pássaro. Criou e coordenou oficinas no grupo de pesquisa e projeção cultural Matinta Perera, pesquisando culturas brasileiras como bumba-boi, jongo, maracatu, tambor de crioula. No ano de 2012 ingressou na ong Cenpec como arte educador, dando aulas e oficinas de música, cultura popular para adolescentes da Fundação Casa. Em 2017 e 2018 toca e dá aulas de bateria, percussão, violão 7 cordas e cavaco, bem como tocando e compondo para a banda Ribeira. 

Quando: 22/9 a 8/12, quartas, 19h30 às 21h 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: 14 anos 
Valores: R$ 15 (Credencial Plena); R$ 25 (Meia); R$ 50 (Credencial de Atividades ou não credenciado). 

Música para crianças e famílias 
Com Sheila Ferreira* 

As crianças serão estimuladas a participar da atividade explorando seu entorno, criando e reproduzindo canções do nosso folclore e cancioneiro popular. Através de parlendas, trava-línguas, brincos e brincadeiras, elas terão contato com a linguagem musical, utilizando recursos sonoros disponíveis em seu dia-a-dia (objetos de casa, brinquedos e afins), de maneira lúdica. 

*Sheila Ferreira. Educadora musical licenciada em Música pela Universidade de Ribeirão Preto- UNAERP. Formação em terapia corporal pelo Instituto Neo-Reichiano Lumen.  Educadora do CM Consolação nas áreas de voz e musicalização. Foi preparadora vocal do elenco do CPT, dirigido por Antunes Filho. Compositora de obras no livro Canto, Canção, Cantoria – Como montar um coral infantil, de Gisele Cruz (Sesc, 1997).  Integra os grupos vocais La once (octeto vocal feminino),  Rock’n’voice (sexteto vocal) e Cantadeiras, como regente e cantora. Pós-graduanda nos cursos Saberes populares para a Arte e a Educação nas vivências da Carroça de Mamulengos (a Casa Tombada) e Música na Infância: Intervenção e Investigação, pela Universidade Nova de Lisboa (FCSH). 

Quando: de 5 de outubro a 16 de novembro, terça-feira, das 15h às 16h (exceto dias 12/10 e 2/11 – 5 encontros) 
Plataforma: Zoom 
Público-alvo: crianças de 1 a 5 anos acompanhadas de seus familiares   
Grátis  

Os fios da trama: grandes temas da música popular tradicional brasileira  
Com Paulo Dias* 
 
O curso visa apresentar ao público onze temas nucleares das formas de expressão populares tradicionais brasileiras, tendo como fio condutor a música, através de falas expositivas e numerosos exemplos em vídeo, áudio e fotografia. 

Se por um lado as tradições de música e dança brasileiras impressionam pela diversidade regional, por outro mostram aspectos de unidade, na recorrência de certos temas ou núcleos de sentido que permitem reuni-las em grandes grupos, independentemente de sua territorialidade. No curso da formação da cultura mestiça brasileira, processos históricos e sociais similares, ligados à implantação de determinadas instituições por todo o país (por exemplo, a catequese, o escravismo, o latifúndio monoprodutor) orientaram a consolidação de conteúdos narrativos e formas de expressão recorrentes. São fios condutores a se entrelaçar no vasto tecido das expressões artísticas e religiosas do povo brasileiro, fiados a partir da memória coletiva das etnias que aqui se confrontaram. 

Aula 1 – Caboclinhos e tradições jesuítico-indígenas  
Aula 2 – Os batuques de terreiro  
Aula 3 – Cortejos de reis congos 
Aula 4 – Religiões afro-brasileiras 
Aula 5 – Calendários profano-religiosos: carnaval, São João, natal 
Aula 6 – Santos padroeiros 
Aula 7 – Cristãos e mouros 
Aula 8 – Marinheiros 
Aula 9 – Brincadeiras de boi 
Aula 10 – Bailes profanos 
Aula 11 – Desafio repentista 

*Paulo Dias é pianista, organista, percussionista e etnomusicólogo. Desde 1988 realiza um extenso levantamento das tradições musicais populares brasileiras, em especial das afro-brasileiras da Região Sudeste. Ministra regularmente cursos, palestras e participa de simpósios e conferências no Brasil e exterior. Fundou o Grupo de Danças Populares Cachuera!, dedicado ao repertório afro-brasileiro do Sudeste, com inúmeras apresentações em palcos, praças públicas e festivais nacionais e internacionais, além de oficinas em instituições culturais e coletivos diversos. Fundou e dirige a Associação Cultural Cachuera! entidade que tem como objetivo a pesquisa, o registro e a divulgação da cultura popular brasileira.   

 
Quando: de 30 de setembro a 9 de dezembro, quintas-feiras, das 19h às 21h30 (11 aulas) 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: a partir de 13 anos 
Público-alvo: pesquisadores de cultura popular, artistas, brincantes, músicos, público em geral 
Valores: R$ 18 (Credencial Plena); R$ 30 (Meia); R$ 60 (Credencial de Atividades ou não credenciado) 

Assista também à live de abertura deste curso, com Paulo Dias, Marianna Monteiro e mediação de Renata Celano, no dia 23/9 às 19h, no canal do YouTube do Centro de Música Sesc. 

Música árabe 
Com Marcia Dib* 
 
O curso pretende mostrar a riqueza e diversidade da cultura árabe através da sua arte, tendo a música como foco principal e ponto de partida para esta abordagem. Na primeira parte do curso são destacadas as características da música árabe em geral, mostrando o que existe em comum nos diversos países árabes; na segunda parte são apresentadas as características regionais da música árabe, mostrando sua ligação com o contexto: grupos sociais, ambiente físico, aspectos culturais e dança. 
 
PARTE 1: Aspectos musicais que existem em comum nos países árabes 
 
AULA 1 . Música árabe e suas principais características 
. Ta’thir: a influência da música sobre os seres humanos 
. O sistema Maqam: como as escalas são trabalhadas 
. Os tratados musicais e a busca pelo conhecimento 
 
AULA 2 . Música árabe e suas principais características (continuação) 
. A circularidade presente na música e na cultura árabe 
. A busca pela afinação perfeita 
. A tradição oral e sua relação com a música 
. Modos rítmicos: como os ritmos são construídos  
 
AULA 3 . A cultura do Tarab (êxtase artístico)  
. Como os árabes se relacionam com a música 
.  As diversas aplicações do termo Tarab 
. O que faz uma música e um intérprete serem adequados ao Tarab 
. Tarab como estilo musical 
. Ligação entre dança e Tarab 
 
PARTE 2: Aspectos musicais regionais específicos 
 
AULA 4 . Fatores que afetam a produção artística de cada local 
. A influência do lugar na escolha dos sons: como o ambiente interfere nas sensações humanas e, consequentemente, na música e na dança 
. Paisagem sonora: sons cotidianos que podem estar presentes na música 
. Sons produzidos pelo trabalho do homem: características e suas relações com a música e a dança 
 
AULA 5 . Áreas rurais: a diversidade de músicas e danças 
. O que é memória corporal e como ela se manifesta nas músicas e danças 
. Como uma mesma dança pode ter aspectos musicais e corporais diferentes conforme a região 
. Um exemplo: dabke, a dança de roda praticada em diversos países árabes 
 
AULA 6 . Deserto: músicas e danças beduínas 
. O cotidiano e a arte dos povos beduínos, com foco nos grupos da Síria 
. Como o ambiente e suas atividades diárias interferem na produção musical, no gestual e na dança 
. As trocas culturais e suas contribuições artísticas 
 
AULA 7 . A arte nos palácios da Síria: músicas e danças 
. As artes urbanas e refinadas produzidas desde o século XII nas cortes árabes 
. As características e correlação entre arquitetura, música e dança: em todas elas existe a presença de estruturas claras e detalhes refinados 
 
PARTE 3: Uma reflexão 
 
AULA 8 . A ocidentalização da música árabe 
. Quando, como e por que a música árabe começou a ser alterada de forma mais significativa 
. O Congresso do Cairo de 1932 e suas propostas 
. Por que existe a confusão entre ser moderno e ser ocidental 
. Quais as consequências disso para a música e para a dança 
 
*Marcia Dib. Bailarina, professora e coreógrafa; ministra aulas regulares de danças árabes no Esporte Clube Sírio e outros locais no Estado de São Paulo desde 1998. Dirige do grupo Mabruk! – Companhia de danças folclóricas árabes, que divulga a cultura da Síria e demais países árabes em diversos festivais e espaços culturais. É Mestre em Cultura Árabe pela FFLCH/USP, com a dissertação A diversidade cultural da Síria através da música e da dança (2009), e autora do livro Música Árabe: expressividade e sutileza (2010). Presta consultoria para diversos projetos culturais e artísticos e representa a Síria no Festival Internacional de Danças Folclóricas (Bunkyo) desde 2005. Como descendente de sírios, procura pesquisar, divulgar e valorizar a cultura de seus ancestrais. 

Quando: de 8 de outubro a 26 de novembro, sexta-feira, das 15h às 17h (8 aulas) 
Plataforma: Zoom 
Público-alvo: interessados/as na cultura árabe, público em geral, músicos, dançarinos 
Faixa etária: a partir de 13 anos 
Valores: R$ 12 (Credencial Plena); R$ 20 (Meia); R$ 40 (Credencial de Atividades ou não credenciado) 

Assista também à live de abertura deste curso, com Marcia Dib e mediação de Renata Celano, no dia 1/10 às 15h, no canal do YouTube do Centro de Música Sesc. 

Festas populares do mundo  
Com Cris Miguel, Sheila Ferreira e Solange Assumpção*  
 
Em cada tradição existe uma maneira peculiar de celebrar a vida, a chegada de uma nova estação, o nascimento de um bebê, a mudança de ano, dentre outros momentos que suscitam rituais de comemoração. Na maioria das vezes essas festas e rituais são acompanhadas e embaladas por canções específicas, instrumentos, danças, curiosidades e histórias. 

Os encontros partem de canções trazidas de tradições de diferentes lugares do mundo, suas formas de compartilhar, conviver e comemorar. Entraremos assim em contato com os respectivos contextos culturais e seus elementos musicais característicos, como ritmos, escalas, além de suas danças, idiomas e contextos históricos. A proposta é realizar uma viagem pela América Latina, Leste Europeu e Ásia de forma lúdica, educativa e divertida.  
 
*Cris Miguel. Bonequeira, autora e contadora de histórias, instrumentista, cantora e dançarina. Desde 97 integra o grupo de músicas étnicas Mawaca, que desenvolve uma pesquisa com músicas de vários povos. Fundadora da Companhia Ópera na Mala e autora e atriz dos programas Baú de Histórias e Caderninho Verde da TV Ratimbum e TV Cultura. Participou de diversas turnês e festivais internacionais; ao lado de Danilo Tomic, criou o espaço cultural Casa Passarinho, em São Paulo, onde ministram cursos de bonecos e de música, além de realizarem shows e espetáculos teatrais. Foi premiada em diversas ocasiões e festivais, dentro e fora do Brasil, por criação de trilhas sonoras e como melhor atriz; em 2019 o grupo Mawaca recebeu o Prêmio Profissionais da Música como melhor grupo vocal.  
 
*Sheila Ferreira. Educadora musical licenciada em Música pela Universidade de Ribeirão Preto- UNAERP. Formação em terapia corporal pelo Instituto Neo-Reichiano Lumen.  Educadora do CM Consolação nas áreas de voz e musicalização. Foi preparadora vocal do elenco do CPT, dirigido por Antunes Filho. Compositora de obras no livro Canto, Canção, Cantoria – Como montar um coral infantil, de Gisele Cruz (Sesc, 1997).  Integra os grupos vocais La once (octeto vocal feminino),  Rock’n’voice (sexteto vocal) e Cantadeiras, como regente e cantora. Pós-graduanda nos cursos Saberes populares para a Arte e a Educação nas vivências da Carroça de Mamulengos (a Casa Tombada) e Música na Infância: Intervenção e Investigação, pela Universidade Nova de Lisboa (FCSH).  
 
*Solange Assumpção. Educadora musical e regente coral. Mestre em Música pela UNESP, desenvolvendo pesquisa sobre o canto coral na educação musical, sob a orientação de Martha Herr; estudos de regência com Abel Rocha e Naomi Munakata. Certificada em Somatic Voicework (níveis 1, 2 e 3). Em 2017, participou do 11 th Symposium on Choral Music, em Barcelona.  Foi professora da EMESP e da FASCS. Desde 2001, é membro da equipe de educadores do Centro de Música do Sesc. Conduz o Grupo Madrigueiros desde a sua criação, em 2010. Integra o Música Vocal Grupo de Estudos criado por Vítor Gabriel, desde seu início, em 2019. 
 
Quando: 28 de outubro a 9 de dezembro, quintas-feiras, das 15h às 17h (7 aulas)   
Público-alvo: Jovens e adultos interessados em canto e festas populares, pesquisadores de tradições de cultura popular. 
Plataforma: Zoom  
Grátis 

A história da canção brasileira 
Com Bob Souza* 

O curso objetiva apresentar aspectos históricos, estéticos e estruturais das expressões musicais e poéticas envolvendo a canção no Brasil, tendo como foco predominante a música popular. A cada encontro será abordado um período ou um tipo específico de canção, partindo dos primeiros registros do que podemos denominar música brasileira, chegando até a música independente de hoje.    

A partir de referências históricas, dos fenômenos sociais e musicais relativos aos períodos de cada manifestação, serão trabalhados os seguintes temas:    

– Canção no Brasil colônia e imperial   
– Os primeiros discos   
– Música popular brasileira da Primeira República   
– As vozes do rádio e seus compositores    
– Do samba canção à bossa nova, em tempos de JK   
– A música de protesto e o tropicalismo   
– A música independente 

*Bob Souza. Doutor em Musicologia e Interdisciplinaridade pela Unesp, mestre em Educação, Arte e História da Cultura pelo Mackenzie, especialista em Estruturação Musical pela Faculdade de Música Carlos Gomes e bacharel em contrabaixo acústico pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, com curso de extensão em jazz e improvisação pela Universidade de Louisville (KY). É autor do Livro A canção infantil urbana, dos processos criativos à sala de aula. Atualmente é professor do Centro de Música do Sesc Consolação e do Centro Universitário FMU-FIAM-FAAM. 

Quando: de 18 de novembro a 9 de dezembro, quintas-feiras, das 19h às 21h (4 aulas) 
Plataforma: Zoom 
Público-alvo: público em geral interessado no tema 
Faixa etária: a partir de 14 anos 
Valores: R$ 12 (Credencial Plena); R$ 20 (Meia); R$ 40 (Credencial de Atividades ou não credenciado) 
 
Voz online 60+ 
Com Marcelo Recski e Sheila Ferreira* 
 O curso objetiva promover o fazer musical em grupo através do canto a partir de improvisos vocais, corporais, jogos e repertório de canções buscando realizar conexões possíveis no formato online. 

*Marcelo Recski. Mestre em Regência e graduado pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, é educador musical e autor de livros didáticos de música há 34 anos. Rege e canta em vários grupos vocais e corais de São Paulo; seus arranjos são executados em diversos corais brasileiros. Dirigiu espetáculos cênico-musicais e produziu CDs junto a gravadoras e editoras, como recentemente o de seu grupo vocal Canto ma non presto e do Coro masculino de alumínio. 
 
*Sheila Ferreira. Educadora musical licenciada em Música pela Universidade de Ribeirão Preto- UNAERP. Formação em terapia corporal pelo Instituto Neo-Reichiano Lumen.  Educadora do CM Consolação nas áreas de voz e musicalização. Foi preparadora vocal do elenco do CPT, dirigido por Antunes Filho. Compositora de obras no livro Canto, Canção, Cantoria – Como montar um coral infantil, de Gisele Cruz (Sesc, 1997).  Integra os grupos vocais La once (octeto vocal feminino),  Rock’n’voice (sexteto vocal) e Cantadeiras, como regente e cantora. Pós-graduanda nos cursos Saberes populares para a Arte e a Educação nas vivências da Carroça de Mamulengos (a Casa Tombada) e Música na infância: intervenção e investigação, pela Universidade Nova de Lisboa (FCSH). 

Datas e horários: 22 de setembro a 1 de dezembro, quartas-feiras, das 15h às 17h (11 aulas) 
Plataforma: Zoom 
Público-alvo: pessoas acima de 60 anos 
Grátis 

PARA INICIADOS:

[voltar ao topo]

Desenvolvendo o Baixo 
Com Ximba Uchyama* 

É necessário ao interessado possuir um conhecimento básico em baixo: saber fazer um acompanhamento simples, a partir da cifra, com noção de forma, ritmo, e com breve conhecimento das figuras musicais. Também devem possuir o instrumento, com amplificador. 

O objetivo deste curso é ensinar o aluno a tocar com consciência rítmica, harmônica e melódica, onde nesse estágio veremos formação de acordes, escalas aplicadas em groove e improvisação, teoria aplicada a prática, técnica de pizzicato e slap, e repertório, tocando músicas de ritmos variados, música brasileira, funk, rock, jazz, analisando suas principais características. Este curso é focado na parte prática do instrumento, na execução com conhecimento. 

*Ximba Uchyama. Com mais de 20 anos de carreira, Ximba Uchyama é um dos grandes baixistas do cenário musical brasileiro, atuando principalmente na música instrumental. 
É nome de expressão na didática musical, onde ministra aulas particulares em seu estúdio e no Conservatório Musical Souza Lima. Já atuou com grandes músicos brasileiros, como Zé Rodrix, Ângela Ro Ro, Ney Matogrosso, Pery Ribeiro, Cauby Peixoto, Sandra Pêra e Zizi Possi, entre outros. 

Quando: 22/9 a 8/12, quartas, 16h às 18h  
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: 14 anos 
Valores: R$ 15 (Credencial Plena); R$ 25 (Meia); R$ 50 (Credencial de Atividades ou não credenciado). 

Desenvolvendo a gaita 
com Val Tomato* 

Interessados devem possuir uma gaita diatônia no tom de Dó e ter conhecimento em bends, efeitos de mão e embocadura firme. 

Curso de aperfeiçoamento em Gaita para alunos já iniciados no instrumento. O foco do curso é desenvolver a técnica e capacitar o aluno a acompanhar, executar e improvisar em variados estilos. 

*Val Tomato, cantor, compositor e gaitista, é considerado um mestre do Blues no Brasil, trazendo na bagagem mais de 20 anos de carreira musical, já tendo participado em grandes festivais pelo país, como BSB Blues Festival (Brasília), Sesc’n Blues (Ribeirão Preto e Bauru), Buffalo Blues (Belo Horizonte), Caieiras Blues Festival Blues Etílicos e The Blues Festival (São Paulo) trabalhando ao lado junto de grandes nomes nacionais e internacionais. 

Quando: 24/9 a 10/12, sextas, 16h às 18h  
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: 16 anos 
Valores: R$ 15 (Credencial Plena); R$ 25 (Meia); R$ 50 (Credencial de Atividades ou não credenciado). 

Prática de Metais: a música brasileira tradicional do Sudeste 

com Maurício Narutis* 

Pré-requisitos: é necessário ser iniciado (conseguir tocar pelo menos a extensão de uma oitava, dó a dó, e grupos rítmicos de colcheias); possuir o instrumento e ter habilidade para executar a escala de dó a dó (nota por nota).  

O curso objetiva o aprendizado e a prática dos elementos básicos técnicos dos instrumentos da família dos metais (trompete, flugelhorn, cornet, trombone de vara, bombardino, trompa e tuba), como embocadura, respiração e articulação, e da teoria musical pela abordagem de músicas pertencentes à cultura tradicional popular da região Sudeste.  Durante o curso, será abordada até a tonalidade com três acidentes (sustenidos ou bemóis). 

*Maurício Narutis começou suas atividades musicais em grupos de práticas coletivas. Em 1986, ingressou no Conservatório Musical do Brooklin Paulista. Formou-se em trompete pela Universidade de São Paulo. Estudou com Reginaldo Farias, Gilberto Siqueira, Sérgio Cascapera, Naílson Simões e Edgar Baptista dos Santos (Capitão). Desde 1988 atua como professor de trompete, pesquisando sobre técnicas, tendências e metodologias. Já participou de projetos em CEUs, Emesp e Projeto Guri Santa Marcelina. Desde 2000 atua no Centro de Música do Sesc Vila Mariana. 

Quando: 21/09 a 30/11, terças, 19h às 20h30 (exceção dias 12/10 e 2/11) 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: 13 anos 
Valores: R$ 12 (Credencial Plena); R$ 20 (Meia); R$ 40 (Credencial de Atividades ou não credenciado).  
 

Violão Popular – Ritmos Brasileiros 
com Gui Silveiras* 
 
Curso voltado para estudantes de violão de nível intermediário. O aluno deve já deve saber fazer os acordes maiores e menores no vilão, além de possuir noções básicas de ritmo, tempo e das escalas maiores.  

No curso serão apresentados os fundamentos e técnicas de ritmos brasileiros como Bossa Nova, Baião, Samba, Ijexá, etc. Serão abordados temas como claves rítmicas de cada ritmo, digitações de mão direita, sugestões harmônicas e melódicas, exercícios técnicos, planejamento de estudos, além do uso de material em formato playback. 

*Gui Silveiras é compositor e instrumentista, formado no renomado “Conservatório de  Tatuí”. Um músico versátil e eclético que passeia por diversos estilos e formações instrumentais com fluência e musicalidade. Em sua trajetória dividiu palco com grandes nomes da música brasileira como Hamilton de Holanda, Monica Salmaso, Nelson Sargento, Tantinho da Mangueira,  Arismar  do Espírito Santo, Sergio Santos, Kiko Dinucci, Itiberê  Zwarg,  André  Marques, Vinícius Dorin e o Baterista Nenê. Além de seu trabalho autoral Gui Silveiras atua em diversos projetos artísticos entre eles o grupo “Vintena Brasileira” com o qual gravou dois CDs, “Bituca”(2014) e (r)existir (2018). Atualmente está na produção de seu novo projeto musical “Bate  Tambô”,  explorando  o universo afrolatino. 

Quando: 21/09 a 7/12, terças, 19h30 às 21h30 (exceção dias 12/10 e 2/11) 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: 14 anos 
Valores: R$ 15 (Credencial Plena); R$ 25 (Meia); R$ 50 (Credencial de Atividades ou não credenciado). 

Prática de cordas com arco (violino, viola e violoncelo) 
com Edson Ezequiel* 

Pré-requisitos: É necessário ter domínio técnico e prático da 1ª posição. Conhecimento básico da leitura de partitura. Figuras de duração: semibreve, mínima, semínima e colcheia. O não preenchimento desses pré-requisitos poderá implicar a impossibilidade de acompanhar o andamento das aulas.  

O curso visa um programa de estudo, manutenção e aprimoramento da técnica instrumental por meio de uma série de exercícios voltados para esse fim, bem como a prática de um repertório especialmente desenvolvido para o grupo formado. Além das aulas online, este programa de estudo conta com um material de apoio composto por partituras e arquivos de áudio.  

*Edson Ezequiel estudou violino com Marilia Pini na Fundação das Artes de São Caetano do Sul, e Maria Vischnia, no Departamento de Música da ECA/USP, onde também desenvolveu estudos em performance de música de câmara sob orientação de Olivier Toni. Estudou composição com H. J. Koellreutter e é membro do Trio Akronon de música eletroacústica. É educador no Centro de Música do Sesc Vila Mariana desde 1998. 

Quando: de 21/09 a 30/11, terças, 19h às 21h (exceção dias 12/10 e 2/11) 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: a partir de 13 anos 
Valores: R$ 15 (Credencial Plena); R$ 25 (Meia); R$ 50 (Credencial de Atividades ou não credenciado). 

Uma viagem pela música barroca  
com Valdir Maia* 

Pré-requisitos: Necessário conhecimento prévio do instrumento. O participante deve saber tocar escalas e arpejos de ré maior, sol maior, dó maior; saber ler minimamente partituras e poder executar ritmos desde semibreve até semicolcheia. O aluno deverá possuir o instrumento, ter acesso à internet e, se possível, poder assistir às aulas com um fone de ouvido. 

O período barroco foi muito significativo para as cordas friccionadas, pois ali surgiu a família dos violinos, que contempla a viola de arco, o violoncelo e, posteriormente, o contrabaixo acústico. Vamos conhecer e explorar um pouco do repertório dessa época, seja ouvindo composições do período, seja tocando alguns temas. Curso voltado para instrumentistas de cordas friccionadas – violino, viola de arco, violoncelo e contrabaixo acústico. 

*Valdir Maia iniciou seus estudos de violoncelo aos 19 anos na então ULM – Universidade Livre de Música, teve como professores Watson Clis (UNIRIO) e Marialbi Trisolio (OSESP). Formado em Licenciatura Plena em Música pela Faculdade Paulista de Artes, leciona desde 2001 em projetos musicais como Guri Santa Marcelina e já atuou artisticamente com a Orquestra Jovem Tom Jobim, Camerata Erudita, Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, entre outras. Tenor do Madrigal Sempre EnCanto, de Regina Kinjo. Atua no Centro de Música do Sesc Vila Mariana desde 2015. 

Quando: de 22/09 a 24/11, quartas, 19h às 21h (primeira aula vinculada à live com a professora Teresa Cristina Rodrigues) 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: a partir de 13 anos 
Valores: R$ 15 (Credencial Plena); R$ 25 (Meia); R$ 50 (Credencial de Atividades ou não credenciado). 

Estudo dos modos modernos para improviso, composição e escuta  
com Maria Clara Peinado (educadora convidada) e Renato Veras Baptista (mediador)* 

Pré-requisitos: Para músicos que tenham leitura musical e instrumento e queiram estudar este assunto. Necessário tocar instrumento, cantar ou ter conhecimento de leitura musical. 

O que são os modos e como os modos são usados para composição modal e improviso, características dos modos extraídos da escala maior (jônio, dórico, frígio, lídio, mixolídio, eólio, lócrio). Também serão vistos modos derivados de escalas menores e outras possibilidades da harmonia modal. 

*Maria Clara Peinado é mestra em música na área de Teoria e Análise pela Unesp. Bacharela em composição pela mesma instituição. Estudou piano erudito com Antônio Bezzan e piano popular com Hilton Jorge Valente (Gogô). Tem formação em harmonia, rearmonização e arranjo com o arranjador Cláudio Leal Ferreira; em orquestração e composição com Celso Mojola, Abel Rocha, Achille Picchi e Alexandre Lunsqui. Atua como pianista, compositora, arranjadora e com editoração de partituras. Nos últimos anos tem trabalhado com direção musical de musicais autorais brasileiros.  

*Renato Veras Baptista é pós-graduado em semiótica, sob orientação do professor Norval Baitello Júnior, na PUC/SP. Foi pioneiro no ensino e estudo de MIDI e programação de sintetizadores, tendo sido aluno de Lucas Shirahata, Jorge Poulsen e Conrado Silva. É professor de instrumentos de madeira no Sesc Vila Mariana desde 1998, participando também dos cursos infantis. Tem formação em flauta transversal com Toninho Carrasqueira, clarinete e saxofone com Hector Costita, manutenção de instrumentos com José Augusto e arranjo com Nelson Ayres. 

Quando: 23/09 a 25/11, quintas, 19h30 às 21h 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: a partir de 12 anos 
Valores: R$ 12 (Credencial Plena); R$ 20 (Meia); R$ 40 (Credencial de Atividades ou não credenciado). 

Harmonia | Acordes e percepção harmônica  
Com Pedro Beviláqua* 
 
Pré-requisitos: é necessário que o/a participante possua conhecimentos básicos de teoria, tais como leitura musical básica em clave de sol e fá, formação de escalas, modos eclesiásticos e intervalos.   
 
Curso destinado a quem já possui conhecimentos de teoria e tem interesse em iniciar seus estudos em harmonia; apresenta conteúdos relacionados a formação e percepção de acordes, as abordagens em cifragens, encadeamento de acordes e regras de condução de vozes, criação e harmonização de melodias, entre outros.  
Objetivos pedagógicos: fornecer um panorama geral da harmonia, desde a formação e percepção de acordes tríades e tétrades, regras de condução de vozes, os principais sistemas de cifras, as cinco leis tonais da harmonia funcional, as diferentes notas estranhas ao acorde, teoria e percepção de funções, harmonização e criação de melodias, entre outros.

*Pedro Beviláqua. Iniciou-se na Escola Municipal de Música de São Paulo e é bacharel pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista (IA-UNESP). Foi primeiro violoncelo da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, Orquestra de Câmara da USP e Orquestra Arte Barroca; hoje, desenvolve a música popular no violoncelo com o grupo Cello Choro. Como educador musical, atuou no Projeto Guri e nas escolas Rudolf Steiner e Manacá. Desde 2014 leciona música para crianças e adultos no Centro de Música do Sesc Consolação. 

Quando: 21 de setembro a 14 de dezembro, terças-feiras, das 19h às 21h (com exceção dos dias 12/10 e 2/11 – 11 aulas) 
Plataforma: Zoom 
Valores: R$ 15 (Credencial Plena); R$ 25 (Meia); R$ 50 (Credencial de Atividades ou não credenciado) 

Prática de cordas com arco a distância  
Com Pedro Beviláqua*
 
Pré-requisitos: Leitura básica de partitura e possuir instrumento em casa (qualquer instrumento com arco, da família do violino – violino, viola erudita, violoncelo e contrabaixo acústico); o/a participante deve ter iniciação nestes instrumentos há no mínimo 6 meses (ensino coletivo ou professor particular) e também ter recursos mínimos para realizar gravações em algum dispositivo (celular, notebook, gravador).   
 
O curso oferece um espaço virtual para que arranjos sejam estudados e gravados individualmente pelos participantes, para que posteriormente estas gravações sejam mixadas/integradas a uma gravação geral. As aulas são compostas de cinco momentos:   
. Introdução e explanação da dinâmica do curso;  
. Em salas individuais, os alunos vão estudar as partituras e o educador vai migrar de sala em sala, ouvindo, passando conteúdo e realizando eventuais correções;  
. Os/as participantes gravarão suas partes individualmente, com os recursos que estiverem à sua disposição. Este momento poderá ser realizado em aula, ou ser uma tarefa de casa;  
. As gravações serão mixadas e o processo será detalhado para os/as participantes;  
. A música gravada, já mixada e editada, será apresentada aos/às participantes.  
 
Para instrumentos da família do violino (violino, viola erudita, violoncelo e contrabaixo acústico). 
 
*Pedro Beviláqua. Iniciou-se na Escola Municipal de Música de São Paulo e é bacharel pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista (IA-UNESP). Foi primeiro violoncelo da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, Orquestra de Câmara da USP e Orquestra Arte Barroca; hoje, desenvolve a música popular no violoncelo com o grupo Cello Choro. Como educador musical, atuou no Projeto Guri e nas escolas Rudolf Steiner e Manacá. Desde 2014 leciona música para crianças e adultos no Centro de Música do Sesc Consolação.

Quando: de 22 de setembro a 1 de dezembro, quartas-feiras, das 19h às 21h (11 aulas) 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: a partir de 13 anos 
Valores: R$ 15 (Credencial Plena); R$ 25 (Meia); R$ 50 (Credencial de Atividades ou não credenciado) 
 
Criação de arranjos vocais   
Com Zeca Rodrigues* 
 
Pré-requisitos: Conhecimentos intermediários teoria musical e harmonia (tríades, tétrades e cifras).    
 Este curso é voltado a interessados/as que queiram desenvolver a escrita e a criação de arranjos para vozes. Os/as participantes do curso Canto online, que estará acontecendo simultaneamente a este, poderão cantar algumas das criações que surgirão neste curso.   
 
Metodologia: Aulas teórico-práticas, partindo do referencial de arranjos vocais já existentes, que exemplificam formas diversas e possíveis de conceber arranjos para grupos vocais e corais.   
 
*Zeca Rodrigues é músico carioca, graduado em Licenciatura pela UNIRIO, com especialização em Regência Coral e Arranjo vocal, e experiência profissional como regente, professor de percepção, arranjo e harmonia, cantor, violonista, arranjador e diretor vocal. Com um de seus grupos, o BeBossa, já foi premiado pela Rádio Cultura SP (Solano Ribeiro), como melhor disco de MPB, categoria grupo vocal. Participou, como professor convidado, em duas edições do Painel de Regência da Funarte, em nove edições do Laboratório Coral de Itajubá-MG e em seis edições do Festival Música na Ibiapaba, em Viçosa do Ceará.  
   
Quando: 22 de setembro a 24 de novembro, quartas-feiras, das 19h30 às 21h30 (10 aulas)  
Plataforma: Zoom 
Público-alvo: Interessados, estudantes ou profissionais de música que queiram compreender e aprender sobre a especificidade da escrita para grupo vocal.  
Faixa etária: a partir de 13 anos 
Valores: R$ 15 (Credencial Plena); R$ 25 (Meia); R$ 50 (Credencial de Atividades ou não credenciado) 
 
Canto online 
Com Solange Assumpção  
 
Pré-requisitos: alguma experiência vocal anterior (aulas de canto, participação em grupos vocais, bandas e afins).  
 
O curso propõe explorar nossas vozes e a escuta de si e do outro, aproveitando as possibilidades que o ambiente virtual nos proporciona. Através da prática de canções, arranjos, exercícios, jogos e improvisos buscaremos desenvolver a musicalidade, a técnica vocal e a compreensão musical. Uma das propostas de atividade é a gravação de um vídeo mosaico pelos participantes.   
 
Metodologia: Exercícios corporais e vocais nos encontros sincrônicos, escuta musical, apreciação de vídeos de técnica e também de grupos vocais, dinâmicas de improvisação online, salas separadas também para algumas atividades e jogos, além da gravação de áudios com o repertório criado e proposto para a oficina. 
 
*Solange Assumpção. Educadora musical e regente coral. Mestre em Música pela UNESP, desenvolvendo pesquisa sobre o canto coral na educação musical, sob a orientação de Martha Herr; estudos de regência com Abel Rocha e Naomi Munakata. Certificada em Somatic Voicework (níveis 1, 2 e 3). Em 2017, participou do 11 th Symposium on Choral Music, em Barcelona.  Foi professora da EMESP e da FASCS. Desde 2001, é membro da equipe de educadores do Centro de Música do Sesc. Conduz o Grupo Madrigueiros desde a sua criação, em 2010. Integra o Música Vocal Grupo de Estudos criado por Vítor Gabriel, desde seu início, em 2019.  
 
Datas e horários: 23 de setembro a 25 de novembro, quintas-feiras, das 19h às 21h (10 aulas) 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: a partir dos 13 anos 
Valores: R$ 15 (Credencial Plena); R$ 25 (Meia); R$ 50 (Credencial de Atividades ou não credenciado) 
   
Improvisação  
Com Bob Souza* 
 
Pré-requisitos: conhecimento de escalas maiores e menores, formação de acordes e leitura musical básica. 
 
Curso destinado a estudantes de música interessados em adquirir conhecimentos que possibilitem improvisar sobre músicas populares, a partir de análises melódicas, harmônicas e temáticas.  Conteúdos prioritários que deverão ser abordados: escalas diatônicas e pentatônicas, arpejos, escalas de blues, aproximações cromáticas, progressões harmônicas, articulações e construção de frases para improvisação. 
 
*Bob Souza. Doutor em Musicologia e Interdisciplinaridade pela Unesp, mestre em Educação, Arte e História da Cultura pelo Mackenzie, especialista em Estruturação Musical pela Faculdade de Música Carlos Gomes e bacharel em contrabaixo acústico pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, com curso de extensão em jazz e improvisação pela Universidade de Louisville (KY). É autor do Livro A canção infantil urbana, dos processos criativos à sala de aula. Atualmente é professor do Centro de Música do Sesc Consolação e do Centro Universitário FMU-FIAM-FAAM.  
 
Quando: 23 de setembro a 11 de novembro, quintas-feiras, das 19h às 21h (8 aulas) 
Público-alvo: público em geral interessado no tema.  
Faixa etária: a partir de 14 anos 
Plataforma: Zoom  
Valores: R$ 12 (Credencial Plena); R$ 20 (Meia); R$ 40 (Credencial de Atividades ou não credenciado) 

PARA INICIANTES E INICIADOS:

[voltar ao topo]

Bateria para jovens – Rock básico com abordagem de ritmos, técnicas, notações e aplicações práticas  

com Marcel Cangiani* 

Introdução à bateria, com ênfase em rock. Aspectos técnicos e teóricos, e suas devidas aplicações poderão ser abordados. Necessário possuir instrumento: bateria acústica, bateria eletrônica, teclado (com sons de bateria) e similares. 

Quando: 21/09 a 30/11, terças, 16h às 18h (exceção dias 12/10 e 2/11) 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: de 12 a 19 anos 
Valores: R$ 15 (Credencial Plena); R$ 25 (Meia); R$ 50 (Credencial de Atividades ou não credenciado). 

Marcel Cangiani* é bacharel em percussão pelo Instituto de Artes da Unesp e educador de bateria e percussão do Sesc Vila Mariana desde 2004. Fez parte do Grupo de Percussão da Unesp, Grupo de Percussão de Tatuí, Orquestra Experimental de Repertório, Banda Sinfônica do Estado de São Paulo e Grupo Café Jam. Atuou em orquestras como Osesp, Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, Orquestra Sinfonia Cultura e Orquestra Filarmônica de São Bernardo. 

Introdução à Improvisação Vocal 
com Zuza Gonçalves* 

A voz humana é um instrumento musical que nos acompanha desde que viemos ao mundo, e desde a primeira infância improvisamos com a voz, especialmente no processo de desenvolvimento da linguagem verbal. Nada mais natural então que a improvisação vocal seja também o caminho para o desenvolvimento da nossa linguagem musical, nos convidando a explorar ritmos, melodias e harmonias com o próprio corpo, como quem se torna som e investiga com curiosidade a dimensão do som e da música. Neste curso, vamos vivenciar, em grupo diferentes, processos de improvisação vocal, entrar em contato com alguns dos diversos estilos de improvisação vocal existentes; compartilhar materiais que permitam o estudo autônomo e criar um grupo de participantes que se apoia mutuamente nessa jornada. Não é necessária nenhuma experiência anterior com música ou canto. 

Quando: 23/09 a 25/11, quintas, 19h às 21h  
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: a partir de 13 anos 
Valores: R$ 15 (Credencial Plena); R$ 25 (Meia); R$ 50 (Credencial de Atividades ou não credenciado). 
 

*Zuza Gonçalves é músico formado em Composição e Regência na Unesp, com pós-graduação em Pedagogia da Cooperação e Metodologias Colaborativas. Desde 2001 tem pesquisado os caminhos da música vocal como cantor, regente e educador, atuando nos mais diversos contextos com grupos dos mais variados perfis. Desde 2016 trabalha com Bobby McFerrin como parte do corpo docente do Workshop de Circlesongs que acontece anualmente em Nova York. É cofundador do projeto Música do Círculo. Desde 2014 atua no Centro de Música do Sesc Vila Mariana. 

Curso de flauta doce barroca 
com Renato Veras Baptista* 

Este curso atende a pessoas de qualquer idade interessadas em conhecer a flauta doce e que queiram aprender a tocar algumas músicas, aprendendo, ao mesmo tempo, a leitura musical, de alturas e ritmos. Também recebe alunos que já toquem e queiram participar das atividades. Serão vistos os dedilhados dos pentacórdios de dó, sol, ré, fá, si bemol, lá e mi bemol e mi. Será vista a leitura em clave de sol, e a leitura rítmica abrangendo figuras de som e silêncio de semibreve, mínima, semínima, colcheias e notas pontuadas. Serão vistas fórmulas de compasso simples e compostas (2/4, ¾, 4/4, 6/8, 9/8, 12/8), armaduras de clave, conceitos de escalas e tonalidade, acordes, e serão apresentadas músicas infantis do repertório brasileiro. 

Quando: 24/09 a 26/11, sextas, 19h30 às 21h 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: a partir de 12 anos 
Valores: R$ 12 (Credencial Plena); R$ 20 (Meia); R$ 40 (Credencial de Atividades ou não credenciado). 

*Renato Veras Baptista é pós-graduado em semiótica, sob orientação do professor Norval Baitello Júnior, na PUC/SP. Foi pioneiro no ensino e estudo de MIDI e programação de sintetizadores, tendo sido aluno de Lucas Shirahata, Jorge Poulsen e Conrado Silva. É professor de instrumentos de madeira no Sesc Vila Mariana desde 1998, participando também dos cursos infantis. Tem formação em flauta transversal com Toninho Carrasqueira, clarinete e saxofone com Hector Costita, manutenção de instrumentos com José Augusto e arranjo com Nelson Ayres. 

Corpos no Zoom: vivência integrada de música corporal, voz e dança 

com Zuza Gonçalves, Camila Omena, Camila Costa e Milena Cazarotto* 

A vocação expressiva e coletiva do humano é tão forte que mesmo na plataforma Zoom descobrimos que é possível vivenciar e criar juntos som, música, movimento e dança. Neste encontro, os participantes serão convidados a explorar de forma orgânica, lúdica e criativa as possibilidades musicais e de movimento dos seus corpos e vozes em um processo de fluxo conduzido pelo músico Zuza Gonçalves em parceria com artistas ligados à dança, que trazem diferentes experiências e linguagens artísticas para o jogo. 

Quando:  
– 25/09, sábado, 10h30 às 12h: Zuza Gonçalves e Camila Omena, educadora de atividades infantojuvenis do Sesc Vila Mariana 

– 30/10, sábado, 10h30 às 12h: Zuza Gonçalves e Camila Costa, educadora de atividades físicas do Sesc Vila Mariana  

– 27/11, sábado, 10h30 às 12h: Zuza Gonçalves Milena Cazarotto, educadora de atividades físicas do Sesc Vila Mariana  

Os encontros não serão processuais. Havendo vaga, os participantes poderão se inscrever em uma ou mais datas. 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: a partir de 13 anos 
Valores: Gratuito 

*Zuza Gonçalves é músico formado em Composição e Regência na Unesp, com pós-graduação em Pedagogia da Cooperação e Metodologias Colaborativas. Desde 2001 tem pesquisado os caminhos da música vocal como cantor, regente e educador, atuando nos mais diversos contextos com grupos dos mais variados perfis. Desde 2016 trabalha com Bobby McFerrin como parte do corpo docente do Workshop de Circlesongs que acontece anualmente em Nova York. É cofundador do projeto Música do Círculo. Desde 2014 atua no Centro de Música do Sesc Vila Mariana. 

*Camila Omena é graduada em Letras pela USP, Pedagogia pela UNINOVE e graduanda em Técnica de Dança na Academia de Ballet Tânia Ferreira. Arte-educadora e bailarina de Dança Contemporânea. Além de intérprete-criadora, atua como professora, propondo em seus processos criativos diálogos entre Dança, Literatura e outras formas de expressão artística. Acredita na prática da dança que revela sua essência e valoriza suas experiências socioculturais. Desde 2017 atua como educadora socioeducativa do Sesc-SP. 

*Camila Costa é formada em Educação Física pela Universidade Federal de São Paulo, atua como Educadora de atividades fisicoesportivas no Sesc/SP, realizando projetos e programas fisicoesportivos e desenvolvendo ações educativas de práticas corporais, sociais e esportivas. Em 2019 realizou Intercâmbio para a Gymnastics and Sports Academy Viborg, na Dinamarca. Tem experiência na área socioeducativa atuando principalmente nos seguintes temas: corpo, educação e cultura corporal do movimento. 

*Milena Cazarotto é formada em Educação Física pela FEFISA- Faculdades Integradas, atua como educadora de atividades fisicoesportivas no Sesc SP. Atuou como professora de Dança Educativa, e tem experiência com Dança Contemporânea – Laban, Danças Brasileiras e Capoeira. Acredita na prática pedagógica em Dança que valorize o experimentar, o explorar, o brincar com o corpo e o movimento. 

Percussão Popular: ritmos, técnicas, notações e aplicações práticas   

com Marcel Cangiani*  

Introdução à percussão, com ênfase em ritmos brasileiros, como o samba, choro, baião e afoxé. Aspectos técnicos e teóricos, e suas devidas aplicações, poderão ser abordados. Não é obrigatório tocar ou possuir instrumento. 

Quando: 25/09 a 27/11, sábados, 14h às 16h 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: a partir de 13 anos 
Valores: R$ 12 (Credencial Plena); R$ 20 (Meia); R$ 40 (Credencial de Atividades ou não credenciado). 

Marcel Cangiani* é bacharel em percussão pelo Instituto de Artes da Unesp e educador de bateria e percussão do Sesc Vila Mariana desde 2004. Fez parte do Grupo de Percussão da Unesp, Grupo de Percussão de Tatuí, Orquestra Experimental de Repertório, Banda Sinfônica do Estado de São Paulo e Grupo Café Jam. Atuou em orquestras como Osesp, Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, Orquestra Sinfonia Cultura e Orquestra Filarmônica de São Bernardo. 

Produção e realização de projetos fonográficos: da composição à distribuição 
com Lindenberg Oliveira 

Quebra de PáginaEsse curso apresenta detalhes e sugestões de planejamento da produção de um projeto musical fonográfico, desde a composição à distribuição. Serão abordados tópicos como: processos de criação e gravação, cadeia produtiva de uma gravadora, escolha de repertório, músicos e arranjos, registros da obra, direitos, modelos de distribuição e monetização. 

Lindenberg Oliveira. É formado em Tecnologia em Produção de Multimídia e trabalha como Arte-educador no PECP, onde desenvolve oficinas de audiovisual: Cinema, animação, sonoplastia e produção musical. Além disso realiza trabalhos em estúdios e tour com vários artistas. Em 2016 recebeu o Prêmio profissionais da música 2015 – Categoria Melhor engenheiro de gravação de 2015. 

Quando: 23/9 a 28/10, quintas, 19h30 às 21h30 
Plataforma: Zoom 
Faixa etária: 16 anos 
Valores: R$ 12 (Credencial Plena); R$ 20 (Meia); R$ 40 (Credencial de Atividades ou não credenciado). 

_____________________________________________________________________ 

PARA TODOS OS PÚBLICOS 

[voltar ao topo]

Lives e Webséries 

Live: “Uma viagem musical pela música barroca” 
Aula inaugural do curso “Uma viagem musical pela música barroca” 
com Teresa Cristina Rodrigues* e mediação de Valdir Maia* 

As características da música barroca, assim como sua relação com o contexto social daquela época são temas desta live. O período compreendido entre 1600 e 1750 é repleto de acontecimentos históricos que foram determinantes para o estilo musical denominado de Barroco. Desta maneira, histórias, reflexões e audições musicais serão os ingredientes desta palestra. Serão ouvidos trechos de obras de Vivaldi, Bach e também de outros compositores icônicos deste período. 

 
Dia 22/09, quarta, 19h, no youtube.com/cmsesc 
Plataforma: YouTube do Centro de Música 

*Teresa Cristina Rodrigues é doutora em Práticas Interpretativas pela Unicamp, sob orientação de Edmundo Hora. Obteve Licenciatura na Universidade de São Paulo, onde estudou violoncelo com Zigmunt Kubala, Robert Suethoz e Watson Clis. Especializou-se em violoncelo barroco no Conservatório Real de Haia, Holanda, com Jaap Ter Linden e fez Mestrado em Música na Lousiana State University com Dennis Parker. Publicou o álbum VIOLONCELO XXI juntamente com os professores Felipe Avellar de Aquino e Fabio Presgrave. Foi integrante do grupo Triplo Contínuo com o qual gravou CD dedicado a obras de compositores Italianos do século XVIII e do grupo Sonâncias com o qual gravou o CD ResSonancias, com obras de compositores brasileiros do século 21. Foi integrante da Orquestra Sinfônica da USP por 26 anos. Desde 2015 é professora de Violoncelo e História da Música no Instituto Federal da Paraíba. 

*Valdir Maia iniciou seus estudos de violoncelo aos 19 anos na então ULM – Universidade Livre de Música, teve como professores Watson Clis (UNIRIO) e Marialbi Trisolio (OSESP). Formado em Licenciatura Plena em Música pela Faculdade Paulista de Artes, leciona desde 2001 em projetos musicais como Guri Santa Marcelina e já atuou artisticamente com a Orquestra Jovem Tom Jobim, Camerata Erudita, Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, entre outras. Tenor do Madrigal Sempre EnCanto, de Regina Kinjo. Atua no Centro de Música do Sesc Vila Mariana desde 2015. 

Série de lives: “Como Nasce um Show” 
Série de bate-papos virtuais em que, a cada edição, um artista é convidado para conversar sobre a criação de um show seu, ao lado de outros dois integrantes de sua equipe que estiveram envolvidos no processo, como produtores, iluminadores, técnicos de som, cenografistas, figurinistas, etc. A ideia é aproximar o público do fazer artístico e apresentar diferentes formas de se conceber um show, suas etapas e a contribuição de cada profissional para o resultado final, além de manter ativa a cadeia produtiva dos trabalhadores da cultura ao chamá-los para compartilhar seus conhecimentos. Através dos bate-papos, o público poderá rememorar shows que já assistiram ou conhecer novos artistas e trocar com eles e suas equipes via chat, com a mediação do jornalista convidado.  

Como Nasce um Show: “APKÁ!”  
com Céu (artista), Alexandra Thomas (produtora), Marcos Franja (Designer de Luz) e Alexandre Matias (jornalista)

Dia 28/09, terça, às 20h, no youtube.com/cmsesc 

*Céu. Com quinze anos de carreira, Céu é considerada uma das artistas brasileiras mais importantes de sua geração. Estreando sua carreira com uma indicação ao Grammy americano, ela foi também indicada oito vezes e vencedora em duas categorias do Grammy Latino com o álbum Tropix (2016) e pelo segundo ano consecutivo, vencedora na categoria Melhor Álbum Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa com seu último disco APKÁ! (2019). 

Seu último álbum, APKÁ! (2019), produzido por Pupillo e Hervé Salters, traz composições da artista e canções inéditas de Caetano Veloso e Dinho Almeida (Boogarins), além de participações de Tropkillaz, Seu Jorge e Marc Ribot. A turnê do álbum passou em 2019 por vinte capitais brasileiras.  

 *Alexandra Thomaz Produtora artística há mais de dez anos. Atua na produção executiva da cantora Céu desde 2013, e acompanha suas turnês desde então: Caravana Sereia Bloom, Tropix, APKÁ!, Catch a Fire, Projeto Nivea, 40 anos do disco Refavela, Prêmio da Música Brasileira, Festivais, entre outros. É parceira de Fernando Catatau e Jonnata Doll e os Garotos Solventes em lançamentos de discos e realizações de shows. Com Maria Gadú, realizou turnês na Europa e Brasil. Colaborou com espetáculos da artista cubana Yissi Garcia no Sesc Jazz; da cantora Josyara, no Sesc Interlagos, e produziu os shows solos de Rodrigo Amarante e Cornélia Murr em 2019, quando também atuou com a Urban Jungle na realização do BMS Festival (Brasil Music Summit).  

*Marcos Franja Marcos Cicerone, ou Marcos Franja, nascido em São Paulo capital, trabalha com iluminação de shows musicais desde 1990 quando teve o primeiro contato com iluminação na casa de Shows Dama Xoc em Pinheiros. Excursionou por todo o território nacional e participou de diversos festivais internacionais acompanhando artistas como: Yamandú Costa, Egberto Gismonti, Wagner Tiso, Ulisses Rocha, entre outros, Atualmente, em tour com os artistas Nação Zumbi, Tulipa Ruiz, Céu, Otto e Criolo. 

*Alexandre Matias Jornalista há 25 anos, cobrindo as áreas de cultura, comportamento e tecnologia. É editor do site Trabalho Sujo, que também tem um canal no YouTube, onde o jornalista apresenta diversos programas, entre eles o Cine Ensaio, Bom Saber, DM, Altos Massa, Polimatias e Jornalismo-Arte. 

Série de lives: “Música e Outros Pensares” 
Com foco nas reflexões acerca da relação da música com outras áreas do pensar, o projeto, que tem a intenção de se tornar permanente, trará a cada encontro dois convidados reconhecidos por seu notório saber em suas áreas de pesquisa, além de um mediador. O projeto pretende, através de uma linguagem acessível, democratizar o acesso a estes debates, buscando perspectivas diversificadas sobre a contemporaneidade da música e suas relações com a sociedade.  

Música e Filosofia: A música sob a perspectiva de Nietzsche e outros filósofos  
com Oswaldo Giacoia e Henry Burnett (mediação)*   

Dia 29/09, quarta, às 20h, no youtube.com/cmsesc 

*Oswaldo Giacoia e professor titular do Departamento de Filosofia da Universidade Estadual de Campinas (Aposentado) e do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da PUCPR. Doutor em Filosofia pela Freie Universität Berlin e pós-doutorado em Filosofia em Berlim (Freie Universität), Viena (Universität Wien) e Lecce (Università del Salento). Pesquisador 1B do CNPq. Autor, entre outros, dos seguintes livros: “Agamben. Por uma Ética da Vergonha e do Resto” (N-1, 2018); “Nietzsche: O Humano entre a Memória e a Promessa” (Vozes, 2013); “Heidegger Urgente. Introdução a um Novo Pensar” (Três Estrelas, 2014); “Freud. Além do Princípio do Prazer: Um Dualismo Incontornável” (Civilização Brasileira, 2008).  

*Henry Burnett é cantor, compositor e professor livre-docente do departamento de filosofia da EFLCH/UNIFESP. Publicou “Cinco prefácios para cinco livros escritos: uma autobiografia filosófica de Nietzsche” (Tessitura, 2008), “Nietzsche, Adorno e um pouquinho de Brasil: ensaios de filosofia e música” (Editora Unifesp, 2011), “Para ler O Nascimento da Tragédia de Nietzsche” (Loyola, 2013), “Para ler O caso Wagner de Nietzsche” (Loyola, 2018), “Espelho musical do mundo” (Editora PHI, 2021) e “Meio-dia” (7Letras, 2021) – este marcando sua estreia na prosa literária -, além de vários álbuns, entre eles “Não para magoar” (Mundiando Music, 2006) e “Canções da infância inteira” (Mundiando Music, 2020), o último em duo com Julia Burnett.  

Live: “Os fios da trama: grandes temas da música popular tradicional brasileira
Com Paulo Dias e Marianna Monteiro. Mediação: Renata Celano* 
 
Live de abertura do curso que ocorrerá pelo Centro de Música do Sesc São Paulo, de 30/9 a 9/12. Paulo e Marianna explicam o conceito geral dos grandes temas das tradições populares brasileiras de música e dança, desenvolvido a partir de um intenso trabalho de pesquisa de campo realizado por membros da Associação Cultural Cachuera! a partir dos anos 1980 em festas e comunidades tradicionais. 

*Marianna Monteiro possui graduação em Ciências Sociais, mestrado em Filosofia e doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo. Atualmente é professora assistente da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, no curso de Artes Cênicas do Instituto de Artes. Integra o Programa de Pós-Graduação em Artes do Instituto de Artes da Unesp. Dedica-se à pesquisa em artes focadas no teatro, na performance, na dança brasileira e no teatro popular. É autora dos livros Noverre: Cartas sobre a Dança (Edusp,2002), Dança Popular: Espetáculo e Devoção (Terceiro Nome, 2011) e, em co-autoria, Antropologia e Performance, ensaios NAPEDRA. Co-autora dos vídeos Lambe Sujo – uma Ópera dos Quilombos, Balé de Pé no Chão: a Dança Afro de Mercedes Baptista e A Pedra Balanceou. Membro da Associacão Cultural Cachuera! desde 1981. Lidera na Unesp o grupo de pesquisa Grupo Terreiro de Investigações Cênicas: Teatro, Brincadeiras, Rituais e Vadiagens, e é pesquisadora no grupo de pesquisa da USP Núcleo de Antropologia da Performance e do Drama – NAPEDRA. Desde 1980 dedica-se à pesquisa das culturas populares brasileiras, em especial as danças dramáticas e as danças dos quilombos.  

*Paulo Dias é pianista, organista, percussionista e etnomusicólogo. Desde 1988 realiza um extenso levantamento das tradições musicais populares brasileiras, em especial das afro-brasileiras da Região Sudeste. Ministra regularmente cursos, palestras e participa de simpósios e conferências no Brasil e exterior. Fundou o Grupo de Danças Populares Cachuera!, dedicado ao repertório afro-brasileiro do Sudeste, com inúmeras apresentações em palcos, praças públicas e festivais nacionais e internacionais, além de oficinas em instituições culturais e coletivos diversos. Fundou e dirige a Associação Cultural Cachuera! entidade que tem como objetivo a pesquisa, o registro e a divulgação da cultura popular brasileira.   

*Renata Celano. Jornalista graduada pela Faculdade Cásper Líbero, com especialização em Gestão do Terceiro Setor pelo Senac São Paulo. De 2004 a 2017 foi apresentadora e repórter do Educação na TV, programa institucional da Apeoesp, sindicato dos professores da rede pública estadual de São Paulo. Trabalhou na Associação Cultural Cachuera! como coordenadora de comunicação e gestora, de 2005 a 2016, e no Galpão do Circo como assessora de comunicação, de 2014 a 2017.  Integrou como formadora, em 2010 e 2013, o projeto A Cor da Cultura (Canal Futura/Fundação Roberto Marinho) pelo Geledés – Instituto da Mulher Negra. É técnica de programação do Sesc São Paulo desde 2017; atualmente trabalha no Sesc Consolação nas áreas de música e diversidade. 

Quando: 23 de setembro, quinta-feira, 19h às 20h30  
Plataforma: YouTube do Centro de Música  
Grátis  

Live: “Música árabe” 
Com Marcia Dib. Mediação: Renata Celano* 
 
Live de abertura do curso Música árabe, que ocorrerá pelo Centro de Música do Sesc São Paulo de 8/9 a 26/10. O curso pretende mostrar a riqueza e diversidade da cultura árabe através da sua arte, tendo a música como foco principal e ponto de partida para esta abordagem. Na live, Marcia apresenta um panorama geral dos conteúdos a serem ministrados durante as aulas.  
 
Quando: 1 de outubro, sexta-feira, 15h às 16h30 
Plataforma: YouTube do Centro de Música 
Grátis 

*Marcia Dib. Bailarina, professora e coreógrafa; ministra aulas regulares de danças árabes no Esporte Clube Sírio e outros locais no Estado de São Paulo desde 1998. Dirige do grupo Mabruk! – Companhia de danças folclóricas árabes, que divulga a cultura da Síria e demais países árabes em diversos festivais e espaços culturais. É Mestre em Cultura Árabe pela FFLCH/USP, com a dissertação A diversidade cultural da Síria através da música e da dança (2009), e autora do livro Música Árabe: expressividade e sutileza (2010). Presta consultoria para diversos projetos culturais e artísticos e representa a Síria no Festival Internacional de Danças Folclóricas (Bunkyo) desde 2005. Como descendente de sírios, procura pesquisar, divulgar e valorizar a cultura de seus ancestrais.  

*Renata Celano. Jornalista graduada pela Faculdade Cásper Líbero, com especialização em Gestão do Terceiro Setor pelo Senac São Paulo. De 2004 a 2017 foi apresentadora e repórter do Educação na TV, programa institucional da Apeoesp, sindicato dos professores da rede pública estadual de São Paulo. Trabalhou na Associação Cultural Cachuera! como coordenadora de comunicação e gestora, de 2005 a 2016, e no Galpão do Circo como assessora de comunicação, de 2014 a 2017.  Integrou como formadora, em 2010 e 2013, o projeto A Cor da Cultura (Canal Futura/Fundação Roberto Marinho) pelo Geledés – Instituto da Mulher Negra. É técnica de programação do Sesc São Paulo desde 2017; atualmente trabalha no Sesc Consolação nas áreas de música e diversidade.   

Live: “Para que Serve a Música?[ATIVIDADE CANCELADA]
com Mariene de Castro e Nelson Maca (mediação)

Todas as sociedades do mundo têm como forma de expressão algum formato de música. Seja como uma ferramenta de comunicação, forma de entretenimento, expressão de religiosidade ou instrumento de cura, o fato é que a música acompanha a humanidade desde quando nem éramos classificados como homo sapiens. 

Apesar dessa onipresença na sociedade, uma pergunta persegue músicos e musicistas, filósofos e filósofas, pesquisadores e pesquisadoras da área, sem que haja, ainda, uma resposta conclusiva. Afinal, para que serve a música? 
 
Quando: 21 de setembro, terça-feira, 20h [ATIVIDADE CANCELADA]
Plataforma: YouTube do Centro de Música 
Grátis 

Mariene CastroComeçou muito cedo na carreira artística. Aos cinco anos, já se apresentava em espetáculos de dança no Teatro Castro Alves, em Salvador, sua cidade natal. Na adolescência, soltava a voz como integrante do grupo Timbalada, de Carlinhos Brown e, em 1996, teve a oportunidade de realizar seu primeiro show solo, no Pelourinho. Logo em seguida começa sua primeira turnê internacional, por 20 cidades na França. Daí em diante foram centenas de shows no exterior e no Brasil, três discos de estúdio: Abre Caminho (2005), Tabaroinha (2012), Colheita (2014); e três álbuns ao vivo: Santo De Casa (2010), Ser De Luz (2012), e Acaso Casa (2019). Conquistou prêmios importantes da música, como “Prêmio Tim de Melhor Disco” na categoria “Regional” e o “Prêmio Rumos do Itaú Cultural” pelo disco “Abre caminho”. Atuou também com atriz nos filmes “Ensolarado” (2010), “Jardim Das Folhas Sagradas” (2011), “Quase Samba” (2013), “Damas do Samba” (2013) e na novela “Velho Chico” (2016). 

Nelson Maca. É poeta, professor e agitador cultural. Bacharel, especialista e mestre em literatura pelo Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atuou como membro do Conselho Estadual de Cultura do Estado da Bahia. Nasceu na cidade de Telêmaco Borba, Paraná, mas vive em Salvador (Bahia) desde 1989. Como agitador cultural e ativista, Maca é responsável pelo Sarau Bem Black, do Coletivo Blackitude: vozes negras da Bahia, articulando poesia, música e artes plásticas para falar sobre negritudes e periferias. Organiza também a edição baiana da Balada Literária e desde 2014 apresenta a performance poético-musical CandomBlackesia, com o Afro-Power-Trio. Autor dos livros “Gramática da ira” (poesias/2015) e “Relatos da Guerra Preta ou Bahia Baixa Estação” (contos/2020). Recentemente lançou seu romance de estreia “Ani: todos os Felas do mundo”, pelo selo independente Blackitude. 

Web série: “O universo mágico dos instrumentos musicais!
com Musicaria Infantil 

Nesta série de vídeos, a Musicaria Infantil, de forma leve, divertida e educativa, mostrará algumas das ferramentas que ajudam a traduzir infinitas ideias, belezas e sentimentos em forma de sons: Os Instrumentos musicais! 

Cada vídeo abordará uma categoria de instrumento. Os instrumentos apresentados serão os utilizados na própria formação tradicional da banda: Bateria, Guitarra elétrica, Saxofone, Sousafone entre outros, contemplando as funções de ritmo, harmonia, melodia e diversidade de timbres. Além disso, serão comentadas curiosidades envolvendo cada instrumento. 
 
A Musicaria Infantil é um grupo musical que dedica seu trabalho às Crianças e às Crianças-há-mais-tempo. Em suas apresentações repletas de variedades musicais e interação, promove um show feito PARA e COM o público, com intuito de oferecer uma experiência para toda família. Surgiu em 2014, em São Paulo, formada pelos irmãos Galio: Alexandre, Fábio e Paula. Hoje conta também com Doug Felício e Samuel Morales.  

Quando: sábados, entre os dias 2 de outubro e 27 de novembro, às 11h 
Plataforma: YouTube do Centro de Música 
Grátis 

____________________

ACESSE AQUI A PROGRAMAÇÃO DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2021

Conteúdo relacionado

Utilizamos cookies essenciais, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para personalizar e aprimorar sua experiência neste site. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.