SESC - Serviço Social do Comércio

#EmCasaComSesc

Máscaras caseiras e os cuidados que devemos ter com elas

23.04.2020

Imagem de pessoa utilizando uma máscara artesanal de tecido | Foto: Heloísa Gramari
Foto: Heloísa Gramari

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Saúde, associado a medidas preventivas – como higienização das mãos, atenção ao tossir e espirrar, evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca, e o distanciamento social – o uso de máscaras faciais pode ajudar a reduzir disseminação do novo coronavírus (SARS-CoV-2), causador da COVID-19
 

Uma publicação recente do órgão de vigilância sanitária traz orientações gerais a respeito da confecção, utilização, higienização e descarte de máscaras de uso não profissional, que podem ser úteis se você precisar sair de casa. Mas, conforme orientação do Ministério da Saúde, se puder, fique em casa.

Uma vez que os equipamentos de proteção individual, como máscaras cirúrgicas e respiradores N-95, são escassos e podem faltar para quem mais precisa – os profissionais de saúde –, as máscaras caseiras ou artesanais são uma alternativa para boa parte das pessoas (com exceção, é claro, daquelas que estão contaminadas, com sintomas da doença, incapazes de remover a máscara sem assistência ou que tenham a contra indicação de um profissional de saúde).

Essas máscaras de tecido podem ser confeccionadas com itens disponíveis em casa, a partir de técnicas variadas, com ou sem necessidade de conhecimentos de costura (veja algumas dessas técnicas no final do artigo). Mas antes de fazer a sua máscara é importante saber como elas funcionam e quais os cuidados necessários ao utilizá-la:

  • As máscaras de tecido são barreiras mecânicas. No entanto, elas não inativam o vírus, por isso é importante continuar realizando todas as ações de prevenção recomendadas, como lavar as mãos, manter distância de 1,5m e ficar em casa.
  •  Ao confeccionar sua máscara, lembre-se de limpar a superfície de trabalho com um produto para desinfecção, como preparação alcoólica a 70% ou hipoclorito de sódio a 1%.
  •  Após a confecção da máscara de pano é importante que a mesma seja lavada com água e sabão e passada com o ferro quente. Para minimizar os riscos de alergias, não use essências ou perfumes.
  •  A máscara deve cobrir boca e nariz, ficar bem presa ao rosto, para evitar manipulação durante o uso. 
  •  Regra de ouro: nunca coloque a mão no tecido da máscara, somente nas alças, para colocar ou retirar.
  •  Uma mesma máscara não deve ser utilizada por mais de 2 horas, já que o tecido pode molhar com a própria respiração e, assim, deixa de ser eficaz.
  •  Não compartilhe sua máscara, mesmo após lavagem. Cada um deve ter a(s) sua(s).
  •  Uma vez usada, ela não deve ser guardada antes de ser lavada. Não pode ser colocada na mesa, no sofá ou na cama. Ao guardá-la na bolsa, deve-se utilizar uma sacola plástica.
  •  A máscara pode e deve ser lavada junto com o resto da sua roupa, assim que chegar em casa. 
  •  Se possível, deixe de molho em água com hipoclorito (água sanitária) por 10 minutos antes de lavar, mas fique tranquilo, água e sabão são suficientes para matar o coronavírus.
  •  O tecido mais indicado é o algodão 100% em uma dupla camada. Esse tipo de tecido permite que você respire bem e tem comprovada ação como barreira mecânica.
  •  O modelo deve ficar confortável e bem adaptado ao rosto, para evitar que quem a usa a manipule o tempo todo.

Nos vídeos abaixo, educadores dos Espaços de Tecnologias e Artes de unidades do Sesc São Paulo, no interior e na capital, compartilham algumas técnicas para produção de máscaras não profissionais em casa.


Se tiver dúvidas relacionadas ao novo coronavírus e à COVID-19, consulte também o portal do Ministério da Saúde voltado a questões relativas ao combate à doença.

Conteúdo relacionado

Utilizamos cookies essenciais, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para personalizar e aprimorar sua experiência neste site. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.